Catequese

/
1 Comentários
“Os pais são para os filhos os primeiros responsáveis da educação e os primeiros iniciadores da fé. Têm o dever de amar e respeitar os filhos como pessoas e como filhos de Deus… Em particular, têm a missão de educá-los na fé cristã”. (CIC 460)

Transmitir a fé aos filhos, com a ajuda de outras pessoas e instituições, como a paróquia, é uma responsabilidade que os pais não podem esquecer, descuidar ou delegar totalmente. A família cristã é chamada a tornar-se comunidade de fé, de graça e de oração, escola das virtudes humanas e cristãs, lugar do primeiro anúncio da fé aos filhos. É aqui, no lar doméstico, que a fé cresce e se fortalece através do testemunho, da oração e da prática cristã. A experiência quotidiana diz-nos que educar na fé, hoje, não é empresa fácil. Mas os pais e os educadores não podem esquecer que são devedores aos filhos dos verdadeiros valores que dão fundamento e sentido à vida. Assim, é necessária uma aliança educativa entre a família e a catequese da comunidade.

«A finalidade definitiva da catequese é a de fazer com que alguém se ponha,
não apenas em contacto, mas em comunhão, em intimidade com Jesus Cristo». (DGC 236)

A catequese visa promover a comunhão com Jesus Cristo e transmitir os factos e as palavras da Revelação. Deve “proclamá-los e narrá-los e, ao mesmo tempo, explicar os profundos mistérios que estes encerram. Além disso, sendo a Revelação fonte de luz para a pessoa humana, a catequese não apenas recorda as maravilhas de Deus operadas no passado mas, à luz da mesma Revelação, interpreta os sinais dos tempos e a vida presente dos homens e das mulheres, uma vez que, neles, se realiza o desígnio de Deus para a salvação do mundo”. (DGC 85)

O verdadeiro sujeito da catequese é a Igreja que, continuadora da missão de Jesus Mestre, e animada pelo Espírito, foi enviada para ser mestra da fé. Portanto, a Igreja, imitando a Mãe do Senhor, conserva fielmente o Evangelho no seu coração, anuncia-o, celebra-o, vive-o e transmite-o na catequese, a todos aqueles que decidiram seguir Jesus Cristo.

Toda a ação evangelizadora tem o objetivo de favorecer a comunhão com Jesus Cristo. A partir da conversão «inicial» de uma pessoa ao Senhor, suscitada pelo Espírito Santo, mediante o primeiro anúncio, a catequese propõe-se a dar um fundamento e fazer amadurecer esta primeira adesão. Trata-se, então, de ajudar aquele que acaba de se converter a «...melhor conhecer o mesmo Jesus Cristo ao qual se entregou: conhecer o seu «mistério», o Reino de Deus que Ele anunciou, as exigências e as promessas contidas na Sua mensagem evangélica e os caminhos que Ele traçou para todos aqueles que O querem seguir». O Batismo, sacramento mediante o qual «configuramo-nos com Cristo», sustenta, com a sua graça, esta obra da catequese. (DGC 80)

A comunhão com Jesus Cristo, por sua própria dinâmica, impulsiona o discípulo a unir-se com tudo aquilo com que o próprio Jesus Cristo se sentiu profundamente unido: com Deus, seu Pai, que o enviara ao mundo, e com o Espírito Santo, que lhe dava impulso para a missão; com a Igreja, seu corpo, pela qual se doou, e com os homens, seus irmãos, cuja sorte quis compartilhar. (DGC 81)

 DIAS DA CATEQUESE 



1.º ao 3.º ano: quarta-feira das 18h30 às 19h30
4.º ao 6.º ano: quinta-feira das 18h30 às 19h30
7.º ao 10.º ano: sábado das das 10h às 11h45

Santo Agostinho

1.º ao 3.º ano: terça-feira das 18h30 às 19h30
4.º ao 6.º ano: quarta-feira das 18h30 às 19h30

Franciscanos

1.º ao 3.º e 6.º ano: quinta-feira das 18h30 às 19h30
4.º e 5.º ano: terça-feira das 18h30 às 19h30
7.º ao 10.º ano: sábado das das 10h às 11h45

1 comentário: